Projeto JuçaraMeio ambiente e desenvolvimento comunitário

Na mídia

6/08/2014

Espetáculo teatral: Palmeira, minha palmeira

Palmeira, minha palmeira (6)
IPEMA apresenta o espetáculo teatral Palmeira, minha palmeira
Enquanto preparam um bolo, duas senhoras relembram fatos que quase levaram à extinção da Palmeira Juçara; e a situação das comunidades tradicionais, seu amor pela terra e seu simples modo de vida, hoje ameaçado pela força do progresso.
Muitos risos, emoção e poesia fazem parte do espetáculo teatral Palmeira, minha palmeira, inspirado na ideia de sensibilizar o público para a importância da preservação da Palmeira Juçara e a valorização do modo de vida e costumes das comunidades tradicionais.
Através do teatro de bonecos, sombras, imagens de vídeo e música tocada ao vivo, duas atrizes contam histórias e cantam versos que traduzem a beleza, simplicidade e a poesia da vida em torno desta palmeira, ameaçada de extinção.
A Companhia de Teatro Rosa Carmo Queiroz, responsável pela criação e montagem do espetáculo Memórias da Trindade, foi escolhida pela equipe do Programa Juçara pela riqueza de detalhes do trabalho e pelo envolvimento das atrizes, músicos e produção com a questão da cultura tradicional.
O espetáculo terá 4 apresentações: em Trindade, nos dias 29 e 30 de agosto, sempre às 18 horas, na Associação dos Moradores de Trindade, Av. Dr. Sobral Pinto, s/nº. Em Ubatuba, nos dias 05 e 06 de setembro, também às 18 horas, no Auditório da FUNDART, no Sobradão do Porto, à Praça Anchieta, nº 38. A entrada é gratuita, para maiores de 7 anos, com distribuição dos convites 1 hora antes do espetáculo. Ao final da peça, serão distribuídas mudas e sementes da palmeira juçara. Maiores informações: (12) 3836-1350.
Projeto Juçara
O IPEMA vem, desde 2005, trabalhando com as comunidades tradicionais de Ubatuba e região. As ações de apoio ao desenvolvimento dessas comunidades são o eixo do Projeto Juçara, patrocinado pela Petrobras. Para saber mais, visite:
www.projetojucara.org.br; novo.ipemabrasil.org.br; manejojucaraecambuci.blogspot.com.br.

25/11/2013

IPEMA cria Observatório da Juçara

O IPEMA vem realizando uma série de mudanças, com o objetivo de reestruturar seu espaço, e para isso algumas obras estão acontecendo: a finalização de um alojamento, construído com técnicas de pau a pique e adobe, e início de um novo espaço, para atender melhor ao público que frequenta os cursos e vivências oferecidos pela instituição.
Porém, o destaque fica para o Observatório da Juçara, em plena construção. O Observatório faz parte dos espaços para conscientização do público sobre a palmeira Juçara, propostos pelo Projeto Juçara, patrocinado pela Petrobras.
Resultado de uma vivência de Bioconstrução em Árvores, que aconteceu no feriado de 15 de novembro, uma casa na árvore, na sede do Instituto, no Corcovado, fará parte do novo ambiente. A proposta é ter acesso muito próximo a juçaras que crescem na área, de forma lúdica e ao mesmo tempo segura.
O convite para a realização da vivência e construção da casa partiu do IPEMA para a equipe da Tree House Community. À equipe Tree House Community que veio da Índia, juntaram-se os brasileiros treinados e capacitados por Filip Klingspies. Durante a vivência oferecida pelo IPEMA, um grupo de alunos pode acompanhar o trabalho e aprender as técnicas. Compartilharam as diversas formas de interagir com as árvores e bioconstruir uma casa na árvore com o menor impacto possível. Após o curso, a equipe permaneceu no IPEMA durante toda a semana para finalizar o espaço.
Um pouco da Tree House Community
Philipp Klimgspies, alemão, foi ainda criança para Auroville, a maior ecovila do mundo localizada na Índia. Lá aprendeu técnicas e começou sua jornada de construção de casas em árvores há pelo menos dez anos. Junto com o suíço Asim Sombray, que é marceneiro e Narayan Kuznik Defour, também alemão e carpinteiro especialista formado na França, cresceram juntos em Auroville e formaram o grupo denominado Tree House Community, aventurando-se pelo mundo com a missão de construir casas em árvores. Na Cúpula dos Povos, evento paralelo à Rio+20, conheceram Gustavo Pollmann, Gabriel Miranda e Pedro Ciocca, amantes dessa técnica e estilo de vida. Estes últimos foram capacitados por Philipp e hoje formam o Tree House Community Brasil. Junto com Philipp estão construindo sua sexta casa no Brasil e em dezembro estão indo a Brasília para mais uma empreitada. Sua jornada continuará na Amazônia, posteriormente América Central e por fim México, quando voltam para Auroville para celebrar o nascimento do filho de Asim que está por vir.
O Instituto de Permaculturas e Ecovilas da Mata Atlântica- IPEMA oferece regularmente cursos em sua sede no bairro do Corcovado, Ubatuba. Entre eles, Planejamento em Permacultura, Habitações Sustentáveis, Planejamento em Agrofloresta. É responsável pelo desenvolvimento do Projeto Juçara, que é parte do Programa Juçara, patrocinado pela Petrobras, através do programa Petrobras Ambiental. Para saber mais, visite: www.projetojucara.org.br; novo.ipemabrasil.org.br.

1/12/2011

Release – (set 2011) – Brasil Surf Pro chegará a Ubatuba dando show de surfe e meio ambiente

Petrobras Surf Pelas Florestas realizará uma série de ações ambientais envolvendo escolas, a comunidade local, o público na praia e os surfistas.

No mês de setembro o Brasil Surf Pro chega a Ubatuba para mais uma emocionante etapa com os principais surfistas do Brasil no maior e mais importante campeonato do país. Mais uma vez o BSP faz a sua parte para o planeta com a Plataforma socioambiental Petrobras Surf Pelas Florestas no litoral norte paulista, com atividades acontecendo na praia de Itamambuca e em comunidades da região norte do município, entre os dias 19 e 25 de setembro.

O Petrobras Surf Pelas Florestas em Ubatuba, realizado em parceria com o PGA de Itamambuca, IPEMA, Projeto Tamar, AUS e a Prefeitura Municipal da Ubatuba será bem movimentada. Conta com espaços de conhecimento e integração socioambiental, palestras, visitas de escolas com equipe pedagógica, celebração do Dia da Árvore com mutirão de plantio, Café da manhã Socioambiental, expedição de conhecimento e limpeza do rio Itamambuca, além da soltura de tartarugas marinhas. As atividades possibilitarão  a comunidade, lideranças socioambientais locais, público e até os surfistas, a ter uma convivência com a cultura de sustentabilidade, através de ações de engajamento e conhecimento dos bons exemplos de sustentabilidade da região.

O Projeto Juçara é um dos focos desse evento, iniciativa importante da região que conta com patrocínio do Programa Ambiental da Petrobras. Gestor do projeto, IPEMA, Instituto de Permacultura da Mata Atlântica junto com as comunidades da região e a ONG Akarui, capacitam as comunidades na técnica de manipulação do fruto da palmeira Juçara, de onde extraem uma polpa com propriedades similares ao açaí que vem fazendo muito sucesso. Esta renda complementar resultante do manejo do fruto, aliada ao programa de repovoamento da espécie, tem objetivo de retirar a palmeira juçara da lista das espécies em risco de extinção.

“As belezas naturais de Ubatuba e o cenário espetacular do local do campeonato na praia da Itamambuca nos inspirou muito quando desenvolvemos o projeto Petrobras Surf Pelas Florestas. Com a maior cobertura florestal do país (90%) e uma comunidade ambiental muito engajada de ONG’s, projetos e ambientalistas, o município da Ubatuba mostrou os melhores resultados de continuidade das iniciativas realizadas nesta etapa ano passado”, comenta o gerente de sustentabilidade do BSP, Glenn Suba.

Um marco do Brasil Surf Pro é seu plano de gestão ambiental, que desenvolveu critérios e práticas que mostram preocupação com a preservação ambiental das praias visitadas pelo circuito, como a preservação da vegetação de restinga, correta destinação dos resíduos gerados, entre outros. O projeto Surf Pelas Florestas no BSP destaca esse ano a iniciativa Surfista Verde, onde pontuações acima de 8 ganham 5 árvores plantadas e uma nota 10 ganha 50. Este compromisso da organização com surf radical vem engajando cada vez mais os atletas para a causa ambiental.

“Parabenizamos a postura dos organizadores do Brasil Surf Pro, que mais uma vez este ano demonstraram preocupação e engajamento com as questões ambientais deste evento. Temos certeza de que esta união de esforços irá garantir a realização de mais um campeonato de surfe sustentável em Ubatuba, com um perfil ecologicamente correto e socialmente responsável”, reforçou Cristiane Gil, assessora de Projetos Ambientais e Eventos Sustentáveis do município, que vem acompanhando e colaborando com este plano ambiental do Brasil Surf Pro em Ubatuba nos últimos dois anos.

O programa Petrobras Surf Pelas Florestas conta com apoio do Ministério do Meio Ambiente que entendeu a importância desse trabalho de sensibilização durante o Ano Internacional das Florestas (declarado pelo ONU). Em homenagem as florestas brasileiras será realizado doação de mudas da Palmeira Juçara através dos totens “Adote-Me” localizados no espaço.

O programa ambiental do BSP entende a importância da união para um futuro sustentável e cede um amplo espaço na praia para uma exposição “Ubatuba Sustentável” apresentando projetos, Instituições e ONG’s em destaque na região como o PGA – Programa de Gestão Ambiental de Itamambuca,  Projeto Juçara/ IPEMA, Projeto TAMAR Ubatuba, Parque Estadual Serra do Mar, APA Marinha-LN, CBH-LN, PEIA, CETESB, ASSU, Ubatuba Birds, AUS, Escola de Surf do Zecão e Prefeitura de Ubatuba e participarão do cronograma das ações ao longo dos seis dias.

Petrobras e Skol apresentam o Brasil Surf Pro 2011, o patrocinio é da Hawaiian Dreams (HD). Apoio da Oi Futuro, dos canais SporTV e Multishow, da TV Jam, Prefeitura de Ubatuba e da Associação Ubatubense de Surf (AUS). O campeonato conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, organização da ABRASP, realização e produção Brasil1 Esporte e MaxSports.

23/01/2011

Projeto Juçara no Planeta no Parque 2011

O Planeta no Parque 2011 comemora o aniversário de São Paulo com teatro, oficinas, exposições, caminhadas, jogos, palestras e até uma rádio exclusiva. Dentro da programação, que acontece no Parque Ibirapuera, a equipe do Projeto Juçara apresenta uma palestra, nos dias 24 e 25, às 15 horas, para falar sobre as ações de recuperação da espécie.

O Projeto Juçara, uma importante iniciativa de conservação e uso racional dessa palmeira da Mata Atlântica, é desenvolvido em Ubatuba, São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra. A palmeira, que demora de 6 a 12 anos para produzir, vem sendo dizimada em função do corte intenso para a retirada do palmito. O Projeto, que conta com o patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental, tem mostrado às comunidades locais alternativas de exploração dessa palmeira, com a utilização dos seus frutos transformados em polpa na culinária em receitas deliciosas, incorporada à merenda escolar em diversos alimentos, ao mesmo tempo em que desenvolve atividades de plantio e de Educação Ambiental nas escolas. Conta ainda com as parcerias das Prefeituras de São Luiz do Paraitinga e de Ubatuba, e da Fundação Florestal.

Para saber mais sobre o projeto, visite www.projetojucara.org.br e veja a programação completa do evento em http://origin.planetasustentavel.abril.com.br/blog/planetanoparque2011/diversao-informacao-planeta-parque-2011-279591_post.shtml

15/11/2010

Notícia: Projeto Juçara faz plantio da espécie em Ubatuba

O Projeto Juçara, que propõe a recuperação da palmeira, mais conhecida pelo seu palmito, largamente difundido entre os consumidores, está no momento executando ações de plantio no município de Ubatuba, em áreas das comunidades envolvidas no projeto.
O Quilombo do Cambury recebeu recentemente a equipe e realizou o plantio em diversas áreas da Mata Atlântica, onde a comunidade reside. Durante o plantio foram utilizadas duas técnicas, com a deposição de sementes em covas, na área de agrofloresta e a lanço, nas áreas de mata. As próximas comunidades serão o Quilombo da Fazenda e Sertão do Ubatumirim.

Parte das sementes, produto da safra que se encerrou recentemente em Ubatuba, estão destinadas a ações como a descrita acima e parte será utilizada em plantios com visitantes e funcionários do Núcleo Picinguaba, do PESM. As sementes produzidas na safra de São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra, que tem início em setembro, serão usadas no plantio no próximo ano, naquela região.
A área total a ser recuperada é de 177 ha, dentro e no entorno do Parque Estadual da Serra do Mar, envolvendo os municípios de Ubatuba, São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra. O objetivo do projeto é não só recuperar através do plantio, mas divulgando a utilização dos frutos para produção de sementes, mudas, e na culinária. Os frutos possuem alto valor nutricional, além do sabor que agrada amplamente ao público que experimenta a polpa batida ou os pratos preparados com a juçara. Além disso, a utilização dos frutos já passa a representar uma alternativa de renda para as comunidades envolvidas.
Muitas atividades estão previstas, entre elas a implantação de viveiros de mudas, construção de unidades de despolpa (para o fruto), apoio e participação em eventos, como forma de divulgação, etc. Dentre as ações do Projeto Juçara, já houve a primeira safra de Ubatuba, que culminou na II Festa da Juçara, nos dias 15 e 16 de Maio, sucesso de público e para a comunidade.
O projeto tem o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental, é realizado pelo IPEMA em parceria com a AKARUI, e diversas comunidades tradicionais e de produtores dos municípios envolvidos. Conta com o apoio das Prefeituras de Ubatuba e de São Luiz do Paraitinga, além da Fundação Florestal, através dos Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar.

Matéria publicada em plurale em revista e plurale em site em 09/09/10 http://www.plurale.com.br/

Próxima Página »

DoDesign-s Design & Marketing
Programa JuçaraIPEMAPetrobras

Parcerias Apoios