Projeto JuçaraMeio ambiente e desenvolvimento comunitário

Sobre o projeto

29/01/2015

Ações do Projeto Juçara

O projeto tem como foco principal o manejo e a recuperação da juçara em comunidades tradicionais de Ubatuba e Paraty
Atua em 6 comunidades: 3 quilombos – Fazenda e Cambury (Ubatuba) e Campinho (Paraty); 2 comunidades caiçaras: Ubatumirim (Ubatuba) e Trindade (Paraty); 1 aldeia indígena – Aldeia Boa Vista (Ubatuba)
METAS
1) Recuperar a juçara, ameaçada de extinção, com ações de produção de mudas, plantio com sementes e mudas, doação de mudas;
2) Difundir e capacitar para o manejo da juçara e outras espécies nativas através de oficinas de capacitação, visitas de intercâmbio e trocas de experiências;
3) Consolidar empreendimentos comunitários em Ubatuba: viabilizar a estrutura básica para as comunidades realizarem a despolpa com o “kit juçara” (despolpadeira, freezer, seladora e outros utensílios como baldes, peneiras, saquinhos); manutenção da estrutura e dos processos de gestão da Unidade de Beneficiamento do Ubatumirim; implantação de um restaurante no Quilombo da Fazenda – estruturação física e jurídica, e capacitação para implantação do negócio;
4) Fortalecer iniciativas de rede: Fórum de Comunidades Tradicionais, que envolve 27 comunidades indígenas, caiçaras e quilombolas de Ubatuba, Angra e Paraty; Rede Juçara, que abrange os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul e envolve 14 instituições; Seminário Comunidades Tradicionais e Unidades de Conservação, realizado em Ubatuba;
5) Consolidar o Centro de Permacultura do IPEMA no bairro do Corcovado: estruturação física do espaço para receber cursistas e visitantes: alojamento com banheiro e sala de aula, casa na árvore, espaço da Juçara; estruturação do Programa de Visitação voltado para Grupos, Escolas e público em geral; cursos gratuitos abertos à população com temas diversos;
6) Monitoramento Participativo das ações do projeto através do planejamento e avaliação com as comunidades, pesquisa científica sobre o manejo da juçara com Universidades, criação do banco de dados das ações de recuperação da juçara durante o projeto juçara Fase I e II.

Aguardem próximas ações:
– Publicação de um livro sobre Culinária na Mata Atlântica
– Publicação de uma Cartilha contando a experiência do IPEMA
– Inauguração do Espaço Juçara no Centro de Permacultura do IPEMA
– Inauguração do Restaurante do Quilombo da Fazenda
– Curso gratuito de Permacultura no IPEMA

28/05/2013

Retomada do Projeto Juçara

Ótimas notícias, estamos iniciando as ações da segunda fase do Projeto Juçara, com patrocínio da Petrobras. Essa etapa prevê a continuidade do trabalho com as comunidades tradicionais de Ubatuba, estado de São Paulo, ampliando agora a atuação para a região de Paraty, no Rio de Janeiro. Início da organização, com muitas ações previstas, diversas articulações com as comunidades envolvidas.

Aguardem novidades por aqui, informaremos os primeiros passos e a agenda do projeto.

2/12/2011

Notícias do Projeto Juçara

Caros leitores

Ficamos sem aparecer por aqui algum tempo, mas é que as ações no projeto estavam tão intensas que não sobrava tempo para contar a vocês. Por isso, vamos falar um pouco de cada coisa que aconteceu.

Plantio de sementes e mudas

Em 2011, foram plantados em Ubatuba mais de 720 kg de sementes em áreas no interior e entorno do Núcleo Picinguaba/PESM. Nossa meta era recuperar 100 ha em áreas do Parque Estadual da Serra do Mar e seu entorno. Já plantamos 50, 37 ha no litoral (Ubatuba) e 25 ha na serra (Natividade da Serra e São Luiz do Paraitinga).

Através do plantio de mudas, nossa meta é atingir 50 ha nos 3 municípios. Já plantamos 36,51 ha, sendo 25 ha no litoral e 11 ha na serra.

Foram enriquecidos 178 hectares de juçara no interior e entorno do PESM entre 2010 e 2011.

Produção de mudas nos viveiros

Foram implantados 16 viveiros, desde pequenas estruturas domésticas até grandes viveiros. Com foco na produção orgânica, e de maneira auto-sustentável, grande parte da matéria prima dos insumos utilizados como substratos, caldas e bio-fertilizantes, deve ser obtida dentro da propriedade de cada um.  Além de todos os participantes terem sido capacitados para atuar neste novo segmento, também receberam apoio através da compra de materiais para a construção dos viveiros e para a comercialização das mudas. Atividades como a doação de mudas em eventos das cidades e vendas diretas a interessados tem estimulado o comprometimento cada vez maior dos produtores com a estruturação dos viveiros. Outras fontes de renda também tem se concretizado com a venda de sementes e a prestação de serviços para o plantio de mudas.

As comunidades rurais participantes do Projeto Juçara em São Luiz do Paraitinga e Natividade da Serra estão se especializando cada vez mais na produção de mudas de juçara e, assim, gerando mais uma fonte de renda após a produção da polpa. Cerca de 20 pessoas destas comunidades estão diretamente envolvidas na colheita dos frutos, produção da polpa e produção de mudas. Nesta nova fase, os produtores e agora viveiristas, começam a conhecer mais sobre a coleta de sementes e produção de mudas nativas, além da juçara. São 2 viveiros em Natividade e 3 em São Luiz, com capacidade anual de produção chegando a 50 mil mudas. Este trabalho é realizado pela OSCIP AKARUI, parceira do IPEMA no Projeto Juçara.

Polpa na alimentação escolar

Houve também em 2011 a continuidade no fornecimento da polpa da Juçara para a alimentação escolar das creches, do Ensino Infantil e Fundamental da Rede Municipal de Ensino dos 3 municípios, demonstrando a boa aceitabilidade do produto pelos alunos. Em Ubatuba, diferentemente do ano anterior, a polpa foi comercializada pelas comunidades produtoras diretamente com a Prefeitura, através do Conselho da Alimentação Escolar – CAE, sem o intermédio do IPEMA que se manteve dando apoio técnico aos produtores, mas não participou da logística de entrega de mercadoria e repasse dos pagamentos. O interesse dos produtores em realizar o fornecimento por conta própria à merenda escolar demonstra o interesse destes em se organizar e assumir a cadeia produtiva.

Já em Natividade da Serra e São Luiz do Paraitinga, esses alimentos, essenciais no processo de integração entre as comunidades e a floresta, além de serem produzidos com ingredientes ricos em propriedades nutricionais, são feitos com a polpa produzida por pais de alunos.

Calendário e livro de receitas da juçara

Outra atividade que tem nos absorvido bastante é a preparação de um calendário sobre a juçara, com muitas fotos lindas e informações sobre o ciclo de produção da palmeira.

Sem falar no livro com as receitas das delícias que as comunidades e nossos parceiros comerciais tem desenvolvido com a polpa da juçara. Algumas vocês já conhecem aqui do site, mas estamos pesquisando outros quitutes para encantar a todos. Aguardem.

BSP – Brasil Surf Pro

Fomos convidados a participar da fase de Ubatuba do campeonato nacional de surf, na praia de Itamambuca, com ações que aconteceram de 19 a 25 de setembro. O campeonato, patrocinado pela Petrobras, com diversas parcerias locais, teve um foco muito forte na sustentabilidade. Por isso, foi realizado um programa que incluía diversas ações em relação ao espaço do campeonato e seu entorno.

O Projeto Juçara teve destaque e participou ativamente com a doação de mudas para plantio nas escolas da região norte do município, na própria área de Itamambuca, além de mudas que os visitantes levaram para suas casas. Veja o release integral. Saiba mais….

Capacitação para estudos de viabilidade econômica

Tanto a equipe do projeto quanto as comunidades envolvidas vem sendo capacitadas para a elaboração de estudos de viabilidade econômica pela CAPINA, através de uma consultoria que vem dando ótimos resultados e acontece desde julho de 2011. A equipe do projeto junto com as comunidades estão detalhando todas as etapas e custos para implantação de pequenos negócios, visando a melhoria da renda das comunidades tradicionais e dos produtores rurais que estão instalados em áreas do Parque Estadual da Serra do Mar e no seu entorno.

14/10/2010

O Projeto Juçara

Patrocínio PetrobrasO Projeto Juçara se fundamenta na divulgação e expansão da utilização dos frutos da palmeira juçara para produção de polpa alimentar e seu uso na culinária; consolidação de sua cadeia produtiva, por meio da difusão do manejo sustentável da juçara para geração de renda, associada a atividades de recuperação da espécie e da Mata Atlântica; e a reconversão produtiva de áreas, contribuindo com a fixação de carbono. Saiba mais »

14/10/2010

A palmeira Juçara

A palmeira Juçara (Euterpe edulis – Arecaceae) é uma espécie de extrema importância para a biodiversidade da Mata Atlântica. Seus frutos servem de alimento para mais de 70 espécies de animais e aves, sendo considerada espécie chave para a conservação de florestas no Bioma. O alto valor comercial do palmito faz dele um dos produtos florestais mais explorados há séculos, e para sua obtenção é necessário o corte da palmeira. Devido ao extrativismo predatório e ilegal do palmito, a planta é cortada antes mesmo de se reproduzir, causando um grande impacto na regeneração natural. Hoje, a espécie passa por um momento crítico pela expressiva redução de suas populações naturais e está incluída na lista oficial de espécies ameaçadas de extinção (MMA, 2008).

A escolha da Palmeira Juçara aliada à dispersão de sementes, presença de avifauna e condições específicas (umidade, sombra e calor) para sua ocorrência, promove, junto com ela, a preservação e ampliação de seu habitat natural, a Mata Atlântica. A preservação e recuperação deste bioma asseguram o seu papel ecológico de regulação do fluxo dos mananciais, manutenção da fertilidade do solo, fixação de carbono, proteção das encostas das serras e alta variabilidade genética.

Veja também:

Clique para ler o texto completo »

DoDesign-s Design & Marketing
Programa JuçaraIPEMAPetrobras

Parcerias Apoios